Plano de voo

por Luis Borges 21 de Janeiro de 2018   Música na conjuntura

Já se passaram 21 dias do novo ano e não faz nenhum mal perguntar se o plano de voo que norteará sua vida rumo ao atingimento de suas metas já está pronto e sendo praticado. Afinal de contas, no crepúsculo do ano que se findou muitas foram as premissas anunciadas para balizar um novo modo de ser e de se posicionar em busca de uma vida mais equilibrada em função da prevalência da sabedoria nesses tempos tão difíceis.

Se nada ou quase nada foi feito e o que ainda predomina é o discurso “da boca pra fora” para alimentar o autoengano, saiba que ainda dá tempo para se reposicionar e deixar a inércia pra lá. O que não dá é pra passar o ano apenas reclamando de tudo e de todos, tanto nos poucos contatos presenciais com outras pessoas quanto no conforto estático das emissões tóxicas digitais das redes sociais.

Nesse sentido vale a pena ouvir Plano de voo, uma canção de 1975, música e letra do cantor e compositor Luiz Gonzaga Júnior, o Gonzaguinha (1945-1991).

Plano de voo
Fonte: Letras.mus.br

A ave levanta vôo e vai em busca da quente luz do sol
(Um ninho é preciso noutro lugar onde agora o campo explode em flor)
Cuidar do novo ovo
A nova cria
O novo dia
O novo...
...Amanhã
A nova vida, a calma, o agasalho, pelo menos do campo o calor
Voar se possível no frescor do despertar sereno da manhã
Pegar a asa morna desse vento sul
Voando sempre em bando sobre os perigos desse imenso mar azul
Da flecha, em formação, voando sempre no sentido de chegar
Da arma oculta no capinzal quantos? Quais escaparão
Do olho, dedo no gatilho, do engodo
(O apito chama a atenção)
Do laço, arapuca, armadilha
Quantos, quais mesmo assim, prosseguirão
Voar se possivel......
Mar azul.
  Comentários

Publicado por

Publicado em