É ladrão que não acaba mais

por Luis Borges 21 de Maio de 2017   Música na conjuntura

Se a tão anunciada delação premiada da arrependida empreiteira Norberto Odebrecht prometia trazer consigo o fim do mundo, a do grupo empresarial JBS, que estourou como bomba nos últimos dias, poderia ter a pretensão de nos fazer sentir como se já estivéssemos depois do fim do mundo. Mas, que nada, foi apenas mais uma amostra de como a corrupção no Brasil se assemelha a uma septicemia tomando conta do corpo humano.

Para enfrentar tudo isso devemos manter a nossa resiliência em alto nível e com o realismo esperançoso de quem acredita que ninguém enganará a todo mundo o tempo todo. Ainda que o horizonte possa parecer momentaneamente cheio de névoa, não dá para desanimar da luta por uma sociedade bem mais justa, transparente e participativa.

Por isso lembro aqui versos do cantor e compositor Luiz Gonzaga Júnior em sua música Palavras dizendo que

“Desde quando sorrir é ser feliz?

Cantar nunca foi só de alegria

Com tempo ruim

Todo mundo também dá bom dia!”.

Já que palavras como corrupção, ladrão, delação poder estão em profunda evidência, que tal ouvir e cantar a musica É ladrão que não acaba mais do cantor e compositor pernambucano Bezerra da Silva (1927 – 2005)?

É ladrão que não acaba mais
Fonte: Letras.mus.br

Quando Cabral aqui chegou
E semeou sua semente
Naturalmente começou
A lapidação do ambiente...

Roubaram o ouro
Roubaram o pau
Prá ficar legal
Ainda tiraram o couro
Do povo
Desta terra original...

E só deixaram
A má semente
Presente de Grego
Que logo se proliferou
E originou a nossa gente...

É ladrão que não acaba mais
Tem ladrão que não acaba mais
Você vê ladrão
Quando olha prá frente
Você vê ladrão
Quando olha prá trás...(2x)

Hiiiiiii!
A terra boa
Mas o povo
Continua escravizado
Os direitos são os mesmos
Desde os séculos passados
O Marajá
Ele só anda engravatado
Não trabalha, não faz nada
Mas tá sempre
Endinheirado...

E se entrar no supermercado
Você é roubado!
E se andar despreocupado
Você é roubado!
E se pegar o bonde errado
Você é roubado!
E também se votar prá deputado
Você é roubado!
Certo!

Tem sempre 171 armando fria
Tem ladrão lá no congresso
Na quitanda e padaria
Ladrão que rouba de noite
Ladrão que rouba de dia
Dentro da delegacia
Ninguém entendia
A maior confusão
O doutor delegado
Grampeou todo mundo
Porque o ladrão
Roubou outro ladrão

É ladrão que não acaba mais
Tem ladrão que não acaba mais
Você vê ladrão
Quando olha prá frente
Você vê ladrão
Quando olha prá trás...(2x)

Quando Cabral aqui chegou
E semeou sua semente
Naturalmente começou
A lapidação do ambiente...

Roubaram o ouro
Roubaram o pau
Prá ficar legal
Ainda tiraram o couro
Do povo
Desta terra original...

E só deixaram
A má semente
Presente de Grego
Que logo se proliferou
E originou a nossa gente...

É ladrão que não acaba mais
Tem ladrão que não acaba mais
Você vê ladrão
Quando olha prá frente
Você vê ladrão
Quando olha prá trás...(4x)
  Comentários

Publicado por

Publicado em